NOVIDADES

Mais de 50% dos Homens com Problemas na Próstata

Durante o mês de novembro queremos alertar números alarmantes: mais de 50% dos homens possuem problemas na próstata. “Nessa rotina do homem de não procurar um médico, muitas vezes é até o urologista, mais tarde, que vai fazer o diagnóstico de outras doenças, como a diabete ou a pressão alta”, afirma Paulo Lages, oncologista do Onco Vida, com foco em tumores genito-urinários. O médico lembra que, a partir dos 50 anos, os homens devem fazer os exames de toque e de sangue (o PSA, antígeno específico da próstata) anualmente e não podem pular os anos. Quem tem histórico de câncer de próstata na família e homens negros, que têm mais propensão a desenvolver a doença, devem começar aos 45. Lembrando que o câncer de próstata não prejudica a fertilidade e pode ser tratado com quimioterapia e radioterapia. Novembro Azul. É hora de cuidar da sua saúde.

Fonte: http://anahp.com.br/noticias/noticias-do-mercado/problemas-na-prostata-atingem-mais-da-metade-dos-homens-com-mais-de-50

Outubro Rosa - Combate ao Câncer de Mama

O Câncer de Mama em Números

57.960. Esse é o número de novos casos em 2017 de câncer de mama. Se diagnosticado com antecedência, as chances de cura são 95%.

Os tipos de câncer mais comuns nos homens brasileiros serão os de próstata (28,6%), pulmão (8,1%), intestino (7,8%), estômago (6,0%) e cavidade oral (5,2%). Já nas mulheres os principais serão os cânceres de mama (28,1%), intestino (8,6%), colo do útero (7,9%), pulmão (5,3%) e estômago (3,7%).

Os maiores fatores de risco são: histórico familiar, sedentarismo, consumo de álcool, obesidade, tabagismo e pessoas acima de 50 anos. Outro fator determinante é a alimentação.
Estudos indicam que a ingestão de frutas, verduras, grãos e legumes auxilia a combater diversas doenças e tipos de câncer.

Os vegetais possuem vitaminas e antioxidantes que eliminam toxinas do corpo (incluindo as que são danosas para as células). Evite alimentos ricos em gorduras saturadas, colesterol e cheios de açúcar.

No dia 19/10, celebramos o Dia Internacional do Combate ao Câncer de Mama. Chame suas amigas e famílias, faça o autoexame e previna-se.

Fontes:
https://www.dicasdemulher.com.br/como-prevenir-o-cancer-de-mama/
http://mulhercomsaude.com.br/saude-da-mulher/cancer-600mil-novos-casos/

Brasileira lidera estratégia da OMS

Mariângela Batista Galvão Simão foi nomeada a nova líder da Organização Mundial de Saúde (OMS). A categoria escolhida foi a de acesso a remédios e vacinas, uma das mais importantes do cenário internacional.

Entre os desafios propostos, a brasileira tem como objetivo garantir o desenvolvimento de novos produtos para combater a Zika, Ebola e outras epidemias, além de coordenar o abastecimento de vacinas contra a febre amarela (surto que vem se espalhando pelo Brasil). Outro tópico importante é o combate contra a AIDS: a prioridade é aumentar o acesso a medicamentos e combater o número de novos infectados.

Só nos últimos anos o número de mortes sofreu uma queda importante, passando de 1,5 milhão em 2010 para 1 milhão em 2016. Na América Latina, o número de pessoas que morreram em decorrência da AIDS também caiu, mas em uma taxa menor. Foram 36 mil mortes em 2016, 12% abaixo de 2010. No mundo, o número total de pessoas vivendo com AIDS a chegou a 36,7 milhões no final do ano passado. Em 2000, esse total era de 27,7 milhões.

Fonte: Estadão

Saúde: foco na experiência do paciente

Um dos tópicos mais quentes nas convenções é a transição para um novo modelo de remuneração na área de saúde. A proposta é focar na experiência do cliente, e mensurar de que forma o desfecho o tratamento afeta sua vida.

Em 2016, o Brasil investiu R$ 500 bilhões em saúde, sendo 55% desse total vindos do setor privado. Uma fatia de 20% disso foi desperdiçada. Deste percentual, outros 10% foram perdidos com fraudes — conta Balestrin, presidente da Associação Nacional de Hospitais Particulares (Anahp).

O Brasil vai chegar a 2030 com 18,6% da população, ou 41,5 milhões de pessoas com 60 anos de idade ou mais. Na Europa, os países primeiro enriqueceram, para, depois, envelhecerem. Aqui, vamos envelhecer primeiro. E não há certeza de que vamos enriquecer — pondera o presidente da Anahp.

O ideal, defende ele, é que o modelo de pagamento no setor considere a saúde do paciente, a qualidade de vida posterior ao tratamento. Atualmente, a discussão está dividida entre o chamado fee-for-service, pagamento por serviço, ou o pagamento por pacote de atendimento.

Fonte: O Globo

Vacina Febre Amarela Para Bebês

A partir de 2018 a vacina contra febre amarela será aplicada em bebês. A medida tem como objetivo diminuir a taxa de mortalidade infantil e conter a epidemia que se espalhou no Brasil.

No último ano foram confirmados 777 casos, com 261 óbitos. Outros 2.270 casos foram descartados e 213 permanecem em investigação, a maioria na região sudeste do país.

Fonte: http://anahp.com.br/noticias/noticias-do-mercado/bebes-serao-vacinados-contra-febre-amarela-a-partir-de-2018

Tecnologia 3D chega ao SUS em breve

Em breve o SUS irá implementar a fabricação de próteses para pacientes amputados .

A técnica (que não é novidade do mercado hospitalar) é usada para confecção de instrumentos médicos, reduzindo a espera por cirurgias. Só no Rio de Janeiro a fila passou de 22 mil pacientes para pouco mais de 11 mil.

Como funciona? A partir de um software, informações são reunidas usando imagens de tomografias, gerando assim uma unidade feita exatamente para cada diagnóstico.

O futuro além de personalizado trará resultados em curto prazo com medidas efetivas.

Fonte: http://anahp.com.br/noticias/noticias-do-mercado/tecnologia-3d-sera-usada-em-proteses-pelo-sus

Clínicas populares em grande ascensão

Os efeitos da crise econômica no Brasil resultaram em uma reconfiguração do mercado de saúde. Um dos resultados foi a ascensão de clínicas com preços populares.

As clínicas acessíveis preenchem lacunas do setor de saúde brasileiro. São alternativas para quem não quer utilizar o Sistema Único de Saúde (SUS). E, por outro lado, também representam uma solução para os brasileiros que sofreram com queda na renda ou ficaram desempregados, perdendo a cobertura de planos de saúde. Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), 2,48 milhões de pessoas deixaram os planos de saúde nos últimos dois anos.

Os próximos anos serão marcados por planos mais baratos ou a independência de um valor fixo mensal e crescimento ainda maior de clínicas com pequenos preços.

Fonte: http://anahp.com.br/noticias/noticias-hospitais-membros/clinicas-medicas-com-precos-acessiveis-tem-expansao-acelerada

Número de vacinas em crianças caiu no último ano

Uma pesquisa apresentada pela OMS (Organização Mundial de Saúde), concluiu que uma em cada dez crianças não foram vacinadas no último ano. Um total de 12,9 milhões perderam a primeira dose da vacina tríplice contra difteria, coqueluche e tétano (DTP). Os resultados são alarmantes e uma das próximas prioridades do governo é realizar uma campanha com foco no público e privado para reverter o quadro.

"Essas crianças provavelmente também não receberam nenhum dos outros serviços básicos de saúde” diz o responsável por imunização da OMS, Jean-Marie Okwo-Bele. ''Se queremos elevar o nível em cobertura de imunização global, os serviços de saúde devem alcançar os inalcançados", acrescentou.

A OMS estima que a vacinação previne entre dois e três milhões de mortes a cada ano.

Fonte: Correio Braziliense | Data: 18/07/2017

Câncer de mama deve crescer 106% na América Latina

Pesquisas apontam que até 2030 os casos de câncer de mama devem crescer até 106% só na América Latina. Os resultados também revelaram que os focos serão as classes de média e baixa renda.

Conforme o texto apresentado, para um controle efetivo da doença, é investido em média 4,6% do PIB, enquanto a média dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) é de 7,7%.

Os autores do relatório fazem algumas recomendações gerais de combate como: desenvolver planos nacionais para o controle do câncer, investir no monitoramento de dados e registros adequados, fazer a prevenção e o diagnóstico antecipadamente, aumentar orçamentos em assistência médica, diminuir as barreiras de acesso aos tratamentos e dotar os setores de oncologia de equipamento e profissionais especializados.

O combate aos números começam com uma reorganização do sistema, campanhas preventivas e acesso.

Fonte: http://anahp.com.br/noticias/noticias-do-mercado/mortes-por-cancer-na-america-latina-aumentarao-106-ate-2030

Vacina HPV estendida para outros grupos

A partir de Junho o ministério da saúde passou a expandir a vacina imunizadora de HPV para meninos de até 15 anos, pacientes em tratamento de quimioterapia e radioterapia e transplantados. A medida, segundo o órgão, visa combater a baixa adesão a campanha e resistência contra a vacina. Ao mesmo tempo em que poucas pessoas procuram, os estoques continuam em alta quantidade e parte dos lotes pode vencer em um curto período. Pelos cálculos do ministério, centrais estaduais têm cerca de 465 mil doses para vencer até setembro. Contados os lotes que vencem no primeiro semestre de 2018, o número salta para 1,64 milhão de doses. Atualmente, no estoque nacional existem 5,6 milhões de doses do imunizante.

Fonte: http://anahp.com.br/noticias/noticias-do-mercado/governo-estende-vacina-de-hpv-a-transplantados-pessoas-em-quimioterapia-e-meninos-de-ate-15

Brasil se destaca em transparência e sucesso no setor de saúde

Notícia boa para o mercado de saúde do Brasil: o país ficou entre os 15 mais transparentes em uma pesquisa feita pela KPMG. O boletim defende que há um potencial considerável a ser explorado, pois a transparência do sistema de saúde apresenta resultados reais e concretos.

Outro ponto destacado foi que o Brasil obteve pontuação geral de 61%, se posicionando no nível de países mais desenvolvidos e possui um serviço de ouvidoria acessível para pacientes, bem como um sistema de procurement divulgado e protegido por lei.

Ainda há espaço para crescimento e melhora do ranking, porém mesmo com a crise a posição foi positiva. A sugestão é focar no planejamento e identificar oportunidades para crescimento nos próximos anos.

Fonte: https://setorsaude.com.br/7-aspectos-de-uma-transparencia-bem-sucedida-na-saude/

Varejo farmacêutico aposta em vendas e inovação

O varejo farmacêutico não planeja diminuir os investimentos em 2017 nem nos próximos anos. Mesmo com os efeitos da crise (que abalou drasticamente a saúde suplementar), o ramo de farmácias cresceu de forma rápida e acelerada, firmando uma expansão considerável no Brasil. Além dos medicamentos, a aposta fica por conta dos cosméticos e produtos de bem-estar, compondo um mix sólido para o consumidor. Segundo o presidente do Provar-Fia e do Ibevar, Cláudio Felisoni de Angelo, o consumidor resiste mais em cortar produtos de uso pessoal, reduzindo a compra, porém não eliminando.

Guilherme Dietz, economista da Fecomércio de São Paulo, destaca outra característica que beneficia o varejo farmacêutico: “as drogarias conseguem se segurar porque têm um mix de produtos maior e são ágeis na comercialização, se um produto não vende logo sai das gôndolas”, explica.

Além da conveniência em produtos, está em andamento o centro de conveniência em serviços de saúde nas farmácias. Os consultórios farmacêuticos já são realidade dentro das grandes redes por todo o País, e quem ainda não tem um projeto para ter essas clínicas, está correndo atrás do tempo perdido para ter, destaca o diretor do ICTQ. “Imagine um ponto onde você pode comprar boa parte dos itens que consome na cesta básica da semana e ainda poder consultar, se vacinar e realizar o acompanhamento de tratamentos específicos com farmacêuticos e nutricionistas. Pense ainda o plano de saúde dando cobertura a esses serviços na sua farmácia preferida.” O mercado farmacêutico tem caminho para unir serviços, selecionar produtos e solucionar a saúde básica do Brasileiro.

Fonte: http://www.ictq.com.br/industria-farmaceutica/614-perspectivas-2017-quatro-boas-noticias-do-setor-farmaceutico

Que doenças mais afetam o Brasil?

As doenças mais mencionadas no Brasil são: febre amarela, dengue, zika e chikungunya. Cientistas afirmam que o Brasil é um lugar que facilita a proliferação dessas doenças, assim como dos mosquitos que as transmitem, por possuir clima quente e úmido, não possuir rede de esgoto em muitas áreas, nem água encanada, além do hábito de armazenar água em tonéis e baldes.

O Aedes aegypti ficou conhecido pela transmissão da dengue e da nova e desconhecida Zika. Esta última ficou conhecida por transmitir a microcefalia entre grávidas e se tornou alvo de pesquisas ao redor do mundo. Já a chikungunya, que superou os casos de zika em 2016, também precisa de mais estudos aprofundados por transmitir sintomas nunca antes estudados durante longos períodos de tempo.

De acordo com especialistas os casos de chikungunya devem crescer e os de zika devem se estabilizar. Os de Febre Amarela, no entanto, voltaram a crescer em Minas Gerais e ao redor do Brasil. Mesmo sendo uma doença com vacina preventiva, a mesma não é acessível para todos, o que causa uma proliferação de casos. O Ministério da Saúde recomenda que apenas pessoas que morem nas áreas de risco (próximas à mata e zona rural) ou que viagem para estas regiões procurem os centros de saúde para vacinação.

Em situações de emergência, a vacina pode ser tomada a partir dos 6 meses de idade. O indicado, no entanto, é que bebês de nove meses sejam vacinados pela primeira vez e depois recebam um segundo reforço aos quatro anos de idade. A vacina tem 95% de eficiência e demora cerca de 10 dias para garantir a imunização.

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/febre-amarela-dengue-zika-e-chikungunya-entenda-as-doencas-do-aedes-que-afetam-o-brasil.ghtml

A Telemedicina e o futuro da saúde

Um relatório divulgado pela Accenture revelou que o investimento em Telemedicina deve quadruplicar até o final de 2017, crescendo para quase um bilhão de dólares em investimento anual.

Quatro fatores são cruciais para esta mudança. O primeiro é a mudança de postura do Governo, aplicando cada vez mais em sua cobertura de saúde pública à telemedicina para conseguir atender as diretrizes da política governamental. Em segundo lugar temos a economia, que procura sempre diminuir drasticamente o custo dos cuidados de saúde em todo ecossistema (de pacientes até seguradoras). A tecnologia da maturação também acelera o processo com o uso crescente de smartphones e usuários móveis de saúde. Por fim, temos a adoção cultural dos consumidores com cuidados de saúde acessíveis e que atendam às suas necessidades e estilos de vida específicos.

A conjunção destas várias tendências promete levar até a telessaúde um crescimento nunca antes visto e adoção mainstream. A questão agora não é a dúvida e sim quando vai acontecer.

Fonte: http://forumsaudedigital.com.br/telemedicina-pode-ser-tornar-um-mercado-de-us-1-bilhao-em-2017/

Convenção Grupo CDM 2017

Reunimos a nossa equipe de vencedores para a mais recente Convenção de Vendas (03/04 a 05/04) com o objetivo de discutir e compartilhar as novas estratégias, bem como apresentar nossos novos serviços. Com o tema "DNA de Vencedor", foram três dias com imersão total em treinamentos, avaliações de resultados e palestras com alguns dos principais players do mercado nacional e internacional no segmento de medicamentos e medical devices. Ademais realizamos treinamentos de compliance, formalizando junto a todos o nosso próprio Código de Conduta. Esta foi a nossa sexta Convenção de Vendas e neste ano realizamos em Porto de Galinhas/PE.

Inovação, criatividade e prestação de serviços de excelência são as palavras-chaves para continuar crescendo em um mercado em crise. Apesar de ser uma necessidade básica, a saúde tem passado por transformações e, como apresentamos na matéria PERDAS DA SAÚDE SUPLEMENTAR EM 2016, o mercado está se readaptando às novas necessidades.

Lançamos dois novos serviços: o CDM Monitor, aplicativo que proporciona aos nossos clientes a total visibilidade e gestão dos seus itens contratados conosco e o primeiro case no Brasil do CMI, uma evolução do VMI na área hospitalar, trabalhando uma gestão compartilhada de estoque afim de otimizar o fluxo de ressuprimento e consequentemente proporcionar redução nos custos dos nossos clientes.

Também premiamos os nossos destaques pelo desempenho, fortalecemos o padrão de qualidade no atendimento e estamos totalmente preparados para continuar construindo resultados sólidos e, consequentemente, uma história de sucesso. Fique por dentro de como levamos há mais de 10 anos o melhor da gestão e logística para o mercado de saúde.

Perdas da saúde suplementar em 2016

No último ano o mercado de saúde suplementar manteve uma trajetória de desaceleração em sintonia com a crise econômica que atingiu o Brasil. O aumento da taxa de desemprego nos diversos segmentos da economia e a queda do rendimento médio dos trabalhadores também contribuíram para esse cenário. Destaca-se que o setor de saúde suplementar, mesmo vulnerável, foi mais resiliente – uma vez que, mesmo na crise, o brasileiro resiste em abrir mão do plano de saúde – e a redução do número de beneficiários foi bem menor que a queda do emprego e do PIB.

Segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), os planos de assistência médica contabilizaram mais de 48,3 milhões de beneficiários (68,6% do total) com redução de 3,1%, enquanto os exclusivamente odontológicos totalizaram 22,2 milhões (31,4% do total) com aumento de 2,7%, ambos na mesma base de comparação.

Já em relação ao ajuste dos medicamentos segundo a base na inflação de fevereiro divulgada nesta sexta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) estima que o índice máximo de reajuste de medicamentos neste ano ficará em 4,76%. Entre 2005 e 2016, a indústria farmacêutica teve permissão para aumentar em até 77% o preço dos medicamentos, comparável a 103% de variação do IPCA.

De acordo com especialistas da FenaSaúde, o cenário para 2017 ainda é incerto e o setor projeta estabilidade do número de beneficiários de planos médicos. Os planos exclusivamente odontológicos devem crescer em ritmo inferior em relação aos anos anteriores e estima-se um crescimento entre 2% e 2,5%, totalizando 22,7 milhões de beneficiários em dezembro de 2017.

Fontes:
http://g1.globo.com/economia/noticia/reajuste-de-medicamentos-deve-chegar-a-476-diz-interfarma.ghtml
http://www.cnseg.org.br/fenasaude/servicos-apoio/noticias/2016-o-ano-em-que-a-saude-suplementar-perdeu-1-5-milhao-de-beneficiarios.htm

A importância da logística de medicamentos

Um dos segmentos mais estratégicos e importantes dentro da cadeia de produção de medicamentos é a logística. Não adianta produzir com todo o cuidado se na hora de embalar seu produto os galpões que o guardam não forem feitos da maneira correta, garantindo a integridade da mercadoria. É por isso que alguns procedimentos e regras devem ser seguidos na hora da construção e no dia a dia. Conheça alguns deles:
- Boas Práticas de Armazenagem
- Gerenciamento de Estoque
- Mão de Obra Qualificada
- Local e Temperatura
- Logística de Ponta e Distribuição
Para operar no setor de medicamentos todas as transportadoras, operadores logísticos e demais componentes da cadeia têm autorização específica, além de licenças sanitárias federal, estadual e municipal. O período de validade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é de um ano e a revalidação é condicionada a inspeções periódicas. No caso de medicamentos controlados, o processo é ainda mais rigoroso, envolvendo até a Polícia Federal.
Por isso, trabalhamos oferecendo um atendimento de excelência e profissionais qualificados para evitar incidentes e garantir o melhor medicamento em um curto período de tempo.

Fonte: http://br.blastingnews.com/ciencia-saude/2014/12/importancia-da-boa-armazenagem-de-medicamentos-00201009.html

As influências do mercado de saúde em 2017

Renovação é a palavra chave para o mercado de saúde em 2017.  O uso crescente de clínicas no varejo, gamificação e esforços da saúde pública com a tecnologia são novos exemplos de esforços do mercado, mas a finalidade maior desses assuntos é apenas uma: redução de custos. O Instituto de Investigação em Saúde da PWC (HRI) projeta que a tendência dos custos médicos – a porcentagem de aumento projetado no custo para o tratamento de pacientes de um ano para o outro – vai ficar a mesma vista em 2016: um crescimento de 6,5% da tarifa para 2017.

Os pontos mais fortes de influência são:
- Infladores: Cuidados convenientes e Saúde Comportamental
O cuidado com a saúde aumentou o engajamento do paciente. Cerca de 88% dos participantes do estudo revelaram que procuram seus tratamentos em clínicas de varejo. Outro estudo realizado em março desse ano, de Assuntos de Saúde assinalou que 58% das visitas à clínica de varejo para condições de baixa acuidade representam definitivamente a nova utilização.
- Deflatores: Redes de alto desempenho e gerentes de benefícios em farmacêuticas
Observando a ascensão de franquias de alto desempenho por planos de alto custo e isso devido à diminuição do poder aquisitivo da população como um todo. Hoje, cerca de 9% dos empregadores norte-americanos contratam essas redes de alto desempenho, quase o dobro ao de 3% há dois anos.

Fonte: http://saudebusiness.com/noticias/4-forcas-que-irao-influenciar-o-mercado-de-saude-em-2017/

Divulgado o desempenho do setor de produtos para saúde

ABIMED (Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde) apresentou o balanço de desempenho do setor durante o tradicional encontro anual da entidade. Com a alta do dólar, o setor sofreu uma retração de 13,9% no consumo de janeiro a outubro de 2016, comparado ao mesmo período no ano anterior e fecha faturamento ao redor de U$ 9 bilhões. A área de produtos de saúde crescia até 2 dígitos e pela primeira vez apresentou queda neste ano em todos os parâmetros avaliados. A produção encolheu 13,9% enquanto as vendas recuaram 1,1%. A projeção para o próximo ano é aumentar o número de vendas mesmo com a alta do dólar e adotar medidas de prevenção de gastos e contornar a crise para 2018 existir algum aumento, mesmo que pequeno.

Fonte: http://www.hospitalar.com/pt/portal-de-noticias/blog/80-mercado-negocios/738-abimed-divulga-balanco-de-desempenho-do-setor-de-produtos-para-saude-em-encontro-anual-da-entidade

CDM Norte inicia o PROGRAMA DE LOGÍSTICA REVERSA

Assim como acontece em todas as unidades do Grupo CDM, a CDM NORTE também iniciou o programa de Logística Reversa em seus clientes. O programa vem fazendo com que a redução no consumo de isopores e baterias(gelox) venham diminuindo significativamente ao longo dos 6 primeiros meses de inauguração da unidade. Através do Programa da Logística Reversa, os clientes da CDM NORTE, têm uma atitude sustentável, que acabam por contribuir com um redução de cerca de 50% no consumo de itens relacionados a logística do Grupo CDM.
por Alex Carvalho- Encarregado de Logística – Grupo CDM NORTE.

PROGRAMA CDM INOVAÇÃO!

A partir deste mês de Março, estaremos iniciando com os projetos aprovados para implementação do Projeto Piloto do CDM INOVAÇÃO. Teremos os próximos três meses para avaliar os projetos, que serão premiados no mês de Maio/2016. Aguardem!!!
“Não construa muros, construa pontes.” – Provérbio Chinês

Saúde em Foco

ATIVIDADE FÍSICA X ALIMENTAÇÃO – Você consegue!!!

A prática regular de atividade física traz muitos benefícios à saúde, entre eles, uma maior coordenação motora, pode melhorar da capacidade cardiorrespiratória, além de diminuir o estresse e risco de doenças como, hipertensão, obesidade e diabetes. Entretanto, para uma vida saudável, é necessário aliar o exercício físico a uma dieta balanceada e completa para que o corpo realize todas as suas funções adequadamente e garanta um bom resultado.

Você sabia que a alimentação desempenha um papel importante na atividade física? É verdade!!! Pois ela prepara o organismo para o esforço, fornecendo os nutrientes necessários, que irão variar de acordo com o tipo de exercício e o objetivo que se pretende alcançar como, por exemplo, perda de peso ou ganho de massa muscular. Uma alimentação equilibrada deve fornecer água, carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, fibras e minerais.

Praticar esportes, se exercitar, é algo indispensável para uma vida saudável, e a alimentação adequada para o tipo de exercício que você pratica é fundamental para você ter excelentes resultados. A boa alimentação dará ao corpo o que ele precisa para o seu melhor desempenho no exercício. E por outro lado o exercício melhora a habilidade do organismo em utilizar os nutrientes. Por isso é importante que esteja fazendo as duas coisas corretamente. Qual sua programação para hoje? Não espere para amanhã, vamos começar?

Reestruturação da Tecnologia da Informação – TI

Com o objetivo de melhorar o desempenho de suas demandas operacionais e informatizar todo o processo da empresa, o setor de TI (Informática), vem investindo na reformulação do ambiente de TI para otimizar e modernizar seus processos operacionais. Para atender todas as necessidades, trabalhamos com a otimização de ambiente dos servidores, da Rede/Internet, Segurança da Informação, entre outros. Dessa forma, adequamos toda a estrutura para chegar ao resultado que a organização precisa, e o melhor, com custo x benefício extremamente interessante. Este é um passo inicial, de muitos projetos que temos pela frente.

Programa Capacitação 60h Distribuindo Conhecimento

Em Fevereiro apresentamos, apenas para as lideranças do Grupo CDM, o Programa de Capacitação 60h, que tem por objetivo incentivar o aperfeiçoamento técnico e comportamental de nossos gestores e supervisores, através de cursos que os estimulem a produzirem e serem cada vez mais empreendedores em suas áreas de atuação. Os líderes terão que cumprir, neste ano de 2016, a carga horária de 60h de treinamentos e cursos de aperfeiçoamento. O agendamento dos treinamentos iniciarão a partir deste mês de Março.

Surto H1N1 2016

Em 2016 a gripe H1N1 chegou mais cedo ao Brasil. Em março de 2016 o número de casos só no estado de São Paulo superou a quantidade de pessoas doentes em 2015 em todo o país. São 260 casos no Estado até março de 2016, contra 141 no Brasil no ano anterior.

Normalmente a gripe H1N1, assim como os outros tipos de gripe, são bem mais comuns no inverno, mas o surto desta vez começou no verão, e acredita-se que por conta do grande fluxo de pessoas vindas de regiões frias, como: Estados Unidos, Canadá e Europa.

Chave do Desenvolvimento Pessoal - Autoconhecimento

Muitas pessoas ainda se mostram descrentes em relação a métodos de desenvolvimento e de autoconhecimento, quando estes estão vinculados a carreiras ou ao ambiente profissional. Isso se deve, muitas vezes, devido a crescente inundação de gurus e métodos infalíveis de autoconhecimento e motivação, que são muitas vezes cópias mal feitas de outras técnicas de coaching.

Entretanto, existe algo que precisamos concordar: o autoconhecimento é, de fato, o primeiro grande passo para construção de uma carreira sólida e promissora, e auxilia qualquer um não apenas na vida profissional, mas também em sua conciliação com o lado pessoal, familiar e social.

Em filmes e desenhos animados, no cinema e na televisão, sempre presenciamos a chamada “jornada do herói”, uma das mais difundidas técnicas de construção de enredos. Se você se lembrar, em determinado momento de sua jornada o herói sente a necessidade de conhecer melhor a si mesmo – estar ciente de suas vantagens e desvantagens, forças e fraquezas e revelar seu potencial oculto, para que possa dali por diante enfrentar os medos, obstáculos e desafios que virão.

A vida não é diferente. O impulso que nos faz acordar a cada dia e enfrentar nossa rotina e dificuldades é o mesmo que impulsiona o herói ao final de sua jornada: conhecer a si mesmo. Como seres humanos, temos o potencial de conhecer e avaliar nossas próprias necessidades, encontrar os instrumentos que nos permitem realizar coisas e enfrentar nossos medos e receios, sabendo de nossas limitações e lançando mão de nosso potencial da melhor forma possível.

Então, será que você se conhece o suficiente?